quinta-feira, 21 de julho de 2011

sina clandestina, ou, como é gostoso ter angústia



luz sem vergonha,

me faça plástica, me faça castanha.
me faça parar esse nariz que chora.
me faça cessar esse olho que dorme.
me dê de comer a esses dedos que escrevem.
me tire as terças-feiras das semanas.
me deixe ver por janelas de video cassetes.
me dê maçanetas para abrir as portas largas.
e então, me dê um espelho no quarto para que eu possa ver minhas costas quentes.

Um comentário:

dits-dits-dits disse...

Fazia tempo que não vinha aqui! Feliz visita! :)